quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Varal Virtual - Eloísa Roveda Tschoepke


Quadro de Rauricio Barbosa




Espiral

Moinho de lágrimas em pó

E punhos pautados

Segregam estupefação.

Em outro corpo complacente,

Lâminas de folhas finas e rígidas,

Desabitam ausências,

Indúcias do fogo como notação de pássaros

Em galhos aferentes.

No ritmo da espiral

Lágrimas

Punhos

Teclas Premidas

Compõem violência.



Eloísa Roveda Tschoepke (Grupo Cero)

5 comentários:

Anônimo disse...

Parabens. Esta pessoa parece ter uma historia de vida sofrida, mas é uma vencedora. Nao preste atencao a quem lhe ofendeu, pois estes nao sabiam o que faziam.

mario pirata disse...

caramba, ainda tem gente que usa o anonimato para poder falar, que coisa mais esdrúxula!
enfim, segue o barco!

Gilberto Simon disse...

Olá pessoal !
Eu estava procurando pelo Rauricio Barbosa na internet, e vi que ele ilustra poesias, inclusive esta que comento aqui. Preciso entrar em contato com ele, é muito importante. Trabalho na Prefeitura de Porto Alegre, meu nome é Gilberto. Se possível me pasar o contato dele, por favor. Podem passar também, se possível, o meu telefone para ele. 3289 1756 ou 8124 1383. Obrigado.

Anônimo disse...

Sobre o comentario do poetastro Mario Pirata.

Puxa, que mau humor! Desde quando escrever o nome significa se identificar? A menos que se trate de um conhecido, nao faz diferenca se me chamo Joaozinho ou Paulinho. Nao ofendi ninguem, nao difamei, nao critiquei. So' elogiei. Que importa dar um nome, que alias sempre pode ser falsificado?

No minimo posso localizar duas motivacoes que levaram ao azedo comentario do poetastro.

Uma, inveja, pois talvez so' aceite que os outros elogiem a ele (se e' que alguem elogia). Nao admite que alguem tenha ficado tocado com o texto da poetisa.

A segunda provavel razao, seria um ego inflado e o consequente instinto de ditador. Tentando controlar e regular ate' mesmo os comentarios que fazem ou deixam de fazer na internet. O tempo passa, e as pessoas nao se dao conta de quao pequeno e' o ser humano. Conselho: ler (e entender, o que vai ser dificil) Macbeth.

Lamentavel. Apenas quis elogiar o bonito texto da poetisa. Desculpe haver ferido os brios do poetastro. Enfim, segue o barco.

Thomas Ingui Norante

mario pirata disse...

esdrúxula: esquisita, extravagante, excêntrica.

ofensa: mágoa ou ressentimento de pessoa ofendida,
injúria, agravo, ultraje, afronta,
lesão, dano,
desconsideração, desacato, menosprezo.

covardia: ver comentário anônimo acima.