segunda-feira, 26 de setembro de 2011

poema de MIA COUTO

BIOFAGIA

É vitalício: comer a Vida
deitando-a entontecida
sobre o linho do idioma.
Nesse leito transverso
dispo-a com um só verso.
Até chegar ao fim da voz.
Até ser um corpo sem foz.